sexta-feira, 26 de outubro de 2012

20 anos do MdC - exposição no Museu da Água

Imagens da inauguração da exposição colectiva dos 20 anos do Mesinha de Cabeceira no Museu da Água, de 25 Outubro a 16 Dezembro, na Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, Lisboa.



















fotografias: Pepedelrey

ccc@C.A.T.A.


We are showing the animated films of Filipe Abranches and André Ruivo at the C.A.T.A. Festival in Timisoara, Romenia - and selling some books too...

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

20 anos do Mesinha de Cabeceira (2 comemorações!)



25 Outubro - 16 Dezembro
Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, Lisboa
no âmbito da Trienal Desenha 2012


Sinopse: Exposição de originais de BD, desenho e ainda de fanzines, serigrafias e pintura relativos aos 20 anos de existência do fanzine Mesinha de Cabeceira. Criado por Marcos Farrajota e Pedro Brito, desde 1992, que se assumiu como um projecto mutante que se intervala em antologia, monográfico e "perzine" para além de ter passado pela impressão profissional, pela fotocópia e pela serigrafia

Sobre a exposição: Deveria ser uma retrospectiva mas para isso era preciso logística e dinheiro que ninguém teria interesse em investir. E depois há originais perdidos por todo o lado: em Macau, na área metropolitana de Lisboa e quem sabe Brooklyn, Hamburgo, Belgrado, Viseu e Seattle... O fanzine nasceu em Lisboa, embora os seus dois fundadores, Pedro Brito e Marcos Farrajota fossem dos subúrbios (Barreiro e Cascais, respectivamente) mas os colaboradores vieram de vários pontos do planeta, daí que recolher todo o material seria complexo e dispendioso.

Esta exposição é uma selecção de peças curiosas, sobretudo de originais de BD dos 20 anos de actividade editorial do fanzine Mesinha de Cabeceira, desde o seu número zero até ao mais recente número 23. Optou-se para mostrar algumas curiosas peças que mostram de forma simples as pranchas de BD (originais) pouco antes de serem impressas fosse nos tempos gloriosos da fotocopiadora até à impressão offset – passando ainda pela serigrafia.

Muitos destes originais tiveram pouca visibilidade, ou por causa das tiragens reduzidas das edições (sobretudo dos primeiros 12 números) ou ainda porque nunca estiveram expostas noutros espaços - excepção serão os trabalhos de André Lemos, Filipe Abranches, João Maio Pinto, Jucifer, Marcos Farrajota e Pepedelrey que ainda o ano passado, foram vistas por milhares de pessoas durante a exposição Tinta nos Nervos, no Museu Berardo.

Da Noruega vieram as páginas da BD de Monia Nilsen, em registo de entrevista saída no Mesinha de Cabeceira Popular #200 (Chili Com Carne, 2006). Da viagem a Moçambique, Crizzze conta a sua experiência com as cores fortes de África – o trabalho saiu no #17 (Chili Com Carne, 2003). Dos EUA veio uma pintura de Mike Diana que mostra os ácidos a todas as cores da capa do MdC #15 / Sourball Prodigy (MMMNNNRRRG; 2002). Da Alemanha Dice Industries envia as suas BD-colagens que integram o recente número 23 a sair durante esta comemoração do MdC - um mimo, as colagens e o livro, já agora!

Vindos também deste número poderemos ver os originais de André Coelho, Bruno Borges, Sílvia Rodrigues, José Smith Vargas, Afonso Ferreira, Daniel Lopes e Lucas Almeida (numa nova montagem em serigrafia).

E recuperamos ainda trabalhos de Arlindo Horta, João Chambel (remontados) do MdC 18 (Chili Com Carne, 2004), de Nunsky - da sua clássica BD psycho-goth-billy -, Silas, Jorge Coelho e montes de originais "bedroom punk" de Marte (as primeiras páginas das séries Loverboy e NM) e claro... Pedro Brito - os primeiros trabalhos, que serão bastante curiosas para os fãs hardcore deste autor!!!

Informação útil: Inaugura a 25 de Outubro, patente até 16 de Dezembro | 10h - 18h | inauguração 19h
Museu da Água - Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, Lisboa | Público-alvo não determinado com interesse pela banda desenhada e ilustração. Para público com mais de 16 anos | Acesso: Adultos 2 euros, até 12 anos gratuito, Cartão jovem, aposentados, mais 65 anos 1 euro.

Extra: Dia 27 de Outubro – aliás à noite, a partir das 22h, na Trem Azul, as comemorações dos 20 anos do Mesinha de Cabeceira expandem-se para Festa com uma outra exposição, Cronovisões, Ex-votos para o Futuro, uma individual de Doutor Urânio que mostra o seu trabalho de colagem retro-futurista, e haverá concerto de Susana Santos Silva (trompete, electrónicas) com Jorge Queijo (bateria, electrónicas) e um pé-de-dança com os discos de unDJ MMMNNNRRRG.

Internet thing: mesinha-de-cabeceira.blogspot.com | chilicomcarne.com

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

CCC em Madrid e na ESAD

Este sábado a CCC vai estar em Madrid no Maravilloso Encontronazo de Autoedición.

Dois dias antes, vai estar em Matosinhos na ESAD.


domingo, 14 de outubro de 2012

textos mais ou menos poéticos QUASE ESGOTADO!!!

Contamos os exemplares que haviam e chegamos aos últimos 33 exemplares de textos mais ou menos poéticos, o primeiro livro de Rafael Dionísio.

Quem ainda não o leu é de aproveitar para o adquirir na nossa loja virtual - desconto de 50% para sócios apenas.

Ou no final do ano ou no início de 2013 teremos um novo (anti-)romance do nosso escritor favorito. Já tem título: O Tempo da Geração Espontânea - e também têm uma capa a revelar brevemente!!!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

ccc@5º.poetry.slam.sul

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Unzen indeed...



Unzen Pilot (Louie Louie; 2012)

Acho que vale a pena ler o que escrevi sobre os Torto para colocar os Unzen Pilot na mesma situação desconfortável apesar de serem melhores que os Torto. O que deu para todas as bandas portuguesas agora serem "psicadélicas" e "post-rock"? É um mistério periférico e progressivo que também não será aqui desvendado, nem que seja porque a sua estreia foi feita em glorioso vinil de 12" mas que tem apenas 3 malhas que vão até 20 minutos de audição - se pensarmos que temos de mudar de lado para ouvir o disco todo, acho que haverá pouco tempo e ambiente para "tripar".
Este "piloto nada zen" é mais Krautrock e perto das origens que interessam do que as outras bandas portuguesas que chupam as raízes pobres e supercifiais anglo-saxónicas, auto-pilota-se com sons cheios de detalhe que destacam-no da concorrência mas que não chega para quebrar as fronteiras do bem comportado. Enerva saber que um dos tipos dos Sektor 204 toque aqui (bateria) porque com o segundo disco dessa banda mostrou-nos que os estilos musicais não precisam nem de ser nostálgicos nem cristalizados. Falta o ácido real, este disco foi composto com drogaria sintética das "smart shops".
Por falar em lojas, é de realçar o facto da edição deste disco ter sido por uma "discoteca" que ainda recentemente tinha reeditado o disco clássico de estreia dos Pop Dell'Arte. Estas acções remetem para a ideia que a indústria fonográfica já caiu e que as lojas de discos ganharam definitivamente o papel real de promoção da música que não passa apenas pela sua comercialização mas pela própria produção de discos - novos ou reedições - para que a música não morra. Boa iniciativa!

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

E Paris em Outubro? Quem lá vai?

Mocifão, Amor, Fato-de-Macaco, Março Anormal, Sebenta, Seitan Seitan Scum e outros livros da El Pep, da Chili Com Carne e associados como a Joana Pires (imagem), vão estar em exposição na 20 octobre à la Médiathèque Marguerite Duras, em Paris na 20ème arrondissement, a partir do dia 20 de Outubro. Quem estiver por Paris nessa altura, aproveite para visitar esta mostra cultural...