sexta-feira, 24 de outubro de 2014

CCC / MNRG 2014-...



Em Setembro de 2008 a Associção Chili Com Carne e a MMMNNNRRRG assinaram um protocolo de aumento dos descontos dos títulos desta "editora-bruta" (ou será bruta de editora?) para os sócios da Associação que tinham sobre quase todos os títulos da MMMNNNRRRG 50% de desconto.

Infelizmente esta situação não poderá continuar por várias razões, cujas edições mais recentes da MNRG mostraram-nos ser impossível manter este programa. Os descontos de 50% da CCC surgiram numa fase em que nenhum dos projectos editoriais tinha distribuição profissional no mercado livreiro (foi assim durante 10 anos desde 2004) e a ambição era que os associados seriam o "substituto" dessa ausência e total desinteresse das distribuidoras portuguesa da altura. Pensava a CCC (e nós) que os associados iriam comprar mais livros - fundo de catálogo, mais quantidade, enfim nem que fosse para oferecer aos amigos no espírito de infecção cultural - ao ponto de ser preferível dar 50% sobre o PVP a pessoas do que às distribuidoras. O plano falhou, claro... mas também atraiu vários sócios novos e fez crescer a CCC que ficou realmente a ganhar com isto. A CCC não só vende as suas próprias edições como recebe as quotas para os sócios terem acesso aos descontos; e a CCC ao contrário da MNRG tem também outros ganhos para além de venda de livros: recebe uns subsídios (pobretanas mas sempre é qualquer coisa) e também vai distribuindo edições de outros (zines, livros, k7s e discos).

Ou talvez o nome MMMNNNRRRG não seja o mais apelativo ou talvez os nossos livros sejam mais "dificeis" dos que da CCC - pelo menos são mais extremos - ou porque são quase todos livros são "a solo" (muitos títulos da CCC são antologias) e acabam por ter menos impacto do meio - mesmo que Tilmann e Tosel tenha sido nomeados ou ganho prémios importantes ou que os nossos autores sejam referidos no 1001 Comics You Must Read Before You Die. A verdade é que demoramos mais tempo a vender que a CCC, pior, temos mais encargos para fazer um livro - como legendagem e tradução - além de que o trabalho da "irmã" CCC é feito de forma voluntária a 100%.

Para conseguirmos melhorar o nosso trabalho (que significa economia) temos de voltar a reduzir os descontos que faziamos antes de 2008. Ou seja, teremos de voltar aos 20% como aliás são esses os descontos de outros projectos editoriais que a CCC distribui (Opuntia Books, El Pep, Plana Press, Ruru Comix,...). Lamentamos pelo facto mas tem mesmo de ser assim... Para não prejudicar totalmente quem se tem inscrito na CCC, iremos aplicar ainda este desconto dos 50% até ao final deste mês de Outubro.

NA MONTRA: os livros como mancha gráfica


Ainda há livrarias à séria em Portugal... é preciso é ir a Évora em que pelos vistos a montra da Fonte de Letras é nossa! Esperemos que se vendam os livros para que não seja devolvidos em más condições! Gracias!

sábado, 18 de outubro de 2014

Gémeos da Mãe

Mais boa música da 'net! Continuamos a ouvir excelente música portuguesa na World Wide dWeb:

Se no passado tivemos Derek Bailey (1930-2005) em que podemos encontrar Manuel Mota um seguidor, hoje com o aparecimento dos irmãos Sequeira essa linha de discípulos aumenta! Quis o trágico destino unir estes irmãos para sempre com os seus conflitos inerentes. Mas foi a Música que desde cedo lhes apaziguou os seus espíritos e os uniu num fito comum! Não tendo pejo em assumir a sua deficiência genética num nome de guerra, eis os Siameses da Mãe e o seu primeiro tema registado nos estúdios Outsourcing: Mexe-te devagar no barco.

Um tema que diz-nos muito, talvez demasiado (no bom sentido, claro); diz-nos que é na simplicidade que Siameses da Mãe se apoiam para nos oferecer músicas de corpo cheio, onde os vazios sonoros, são muito escassos, quase inexistentes. A música nunca pára, assume uma continuidade que nos mantém presos de uma ponta à última, porque talvez exista sempre algo que os Sequeiras nos queriam dizer. O modo como se prende o ouvinte é sublime, a magistralidade com que tocam são, hiperbolicamente, humanamente impossível. São tão ágeis que não nos parecem humano; será que têm mesmo quinze dedos?

Este tema dos Siameses da Mãe foi gravado por Assinante 35278/TW com a produção de Walt Thisney nos estúdios Outsourcing (Oeiras).


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Dead Pombo

Novas de música na 'net que gostamos e queremos divulgar: os Dead Pombo!!!  Como eles dizem algures: Finalmente lançamos um projecto que nos ficou engasgado desde 2005 quando participamos na compilação Portuguese Nightmare, um tributo aos Misfits, e ouvimos a excelente versão de Dead Combo para o não menos excelente tema Angelfuck. Achamos na altura que esta dupla ‘tuga é que merecia ser homenageada e depois de muitos atrasos devido aos compromissos com os nossos outros projectos mais comerciais, finalmente Dead Pombo levanta voo! Eis o primeiro tema, uma rapsódia que reúne os temas Tejo Walking (2004), Um Homem Atravessa Lisboa (Na Sua Querida Bicicleta) (2007) e Blues da tanga (2011), que mostram como os Dead Combo conseguiram afirmar-se como uma força criativa nos últimos 10 anos. Esta é a nossa forma de homenagear um dos projectos nacionais mais interessantes de sempre. - Dead Pombo (Pica &  Zézinho), Almada 2014.  Gravado nos Estudios Outsourcing, Oeiras. Agradecimentos ao Walt Thisney pela produção.

 

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

ccc@doclisboa.2014



Tal como aconteceu o ano passado, a Associação Chili Com Carne volta ao DocLisboa mas infelizmente este ano só com a venda de livros - não nos foi possível organizar uma apresentação de um livro...

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Luso-Kraut-Gringo-Crazy-Shit-Man!



The Loosers : Hot Jesus (Lovers & Lollipops; 2013)

Eis uma banda que nunca me inspirou confiança nem em disco nem ao vivo mas que agora tiro o chapéu graças a este (bizarro) disco. E não é porque o camarada João Maio Pinto toque práqui baixo porque não há payola nem lobby neste blogue! Fico até arrependido não ter seguido as metamorfoses da banda mas se calhar não resolvia nada porque estes Loosers são outra entidade com a saída do co-fundador Tiago Miranda, e a entrada de Pinto mas sobretudo de Jerry The Cat, um norte-americano que fez parte dos míticos Parliament! E realmente à primeira audição parece ser ele o homem que conduz o resto da banda com o seu discurso de Pastor alucinado. No lado B do LP é que se nota que não é bem assim com a banda a puxar-se para um Krautrock tribalista que mostra que até poderia estar outro tipo a cantar por cima, embora o resultado fosse diferente, não iria abafar os objectivos hipnóticos dos temas. De alguma forma, e provavelmente porque ando a ouvi-los, há algo de Legendary Pink Dots neste disco... I brake for Hot Jesus!

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Valência / Treviso / Hamburgo

Este ano a Chili Com Carne foi a novas paragens europeias e ainda está abrir as malas... Na realidade não é muita coisa para falar, é mais falta de tempo. Não há muito para escrever porque mais do que nunca, é raro encontrar coisas fora do normal numa Europa (mundo?) uniformizada, estas são realmente as excepções...


É difícil perceber aonde quer ir o Magius! Depois do excelente Black Metal começou a editar uma fornada de zines monográficos (publicações de um número só) que é difícil de acompanhar – e de seguir? Depois deste lote descrito AQUI na última visita ao Tenderete (foi ele que fez o cartaz desta edição) encontrei mais quatro títulos passam pelo sexo na Época Medieval (Clássicos Caninos, vol. I), pela cultura Hipster (El Oráculo del Triángulo Hipster) , Skinhead (Oink! The Comix) e Basca (Todo por la Vasca) feitos entre 2013 e 2014(?). Apesar da diversidade dos temas há duas coisas que as une, a coerência gráfica dos trabalhos em que cada vez mais é fácil reconhecer o estilo deste autor de Múrcia e a sua capacidade incrível de expor os estereótipos de cada (sub)cultura usando teriomorfismo. Eu não sei bem o que é um “hipster” mas os barbudos tatuados e gajas com ar enjoado que deambulam por El Oráculo (…) parecem-me a gente burra que aparecem nas festas da Vice ou nos cafézinhos do Intendente. O homoerotismo dos Skins também tá lá todo em Oink! e embora não conheça nenhum Basco, os cavalos "freaks bestas" relatados nas páginas de Todo por la Vasca parecem-me uma caricatura viva do que se passa por lá. Em formato A5 e a maior parte impressos a cores, estes zines são das BDs mais excitantes para quem gosta de cultura Trash, especialmente porque não se vê aqui uma “série” e não se sabe o que vai continuar ou não. De estar atento, não vá sair um tijolo como foi o do Black Metal e ficarmos a chuchar no dedo!

Durante o Festival de BD de Treviso as únicas aquisições foram dois fanzines. O primeiro foi Femore Meraviglioso (Ernest,; 2014) da activista Sara Pavan, um cuidado "chapbook" com uma BD simples mas bastante interessante porque relata uma simples viagem de comboio a Veneza com um "engate" pelo meio mas sob uma pespectiva erótica feminina que torna esta BD mais próxima da Anaïs Nin que outra referência da BD... Já Particles of Pensé (2014) de Martoz é mais fácil de comparar às distorções corporais de Carlos Nine (e não foi para rimar com a Nin!) embora os seus textos sejam uma verborreia non-stop e non-sense impossível de compreender ou vontade de entender. Fico-me pelos excessos dos desenhos que são um bálsamo à moda No Brow - moda essa que faz pensar que a BD "alternativa" parece viver num gigante concurso de Cosplay. O resto da publicação (a cores, impressa em offset!) é composto por mais uns desenhos pornográficos (os italianos são mesmo uns tarados!) e umas colagens tontas. Não percebi metade das intenções desta autor mas senti que tem "A Energia"!

O melhor da visita a Hamburgo não foi a BD. Não que a cena alemã não seja activa mas creio que nos dias do mercado globalizado, é uma questão de tempo até ter um livro de um autor alemão traduzido numa língua mais acessível (tipo inglês ou francês). O Festival de Hamburgo mostrava essa força das "grandes" editoras de BD de autor (Reprodukt e Avant) com traduções de vários autores internacionais e o lançamento de novos livros de autores alemães ou que residem lá - como o novo impressionante livro de Stefano Ricci. Apesar do jornal finlandês Kuti ter lançado um número em formato "split" com autores alemães a preencher um dos lados, nada encontrei para aqui divulgar, por isso, fico-me pelo terceiro número do Spuren Elemente (2013), projecto de Dice Industries (autor já publicado no Mesinha de Cabeceira e responsável pela nossa exposição na galeria 2025) e da sua companheira, que reúnem fotografias achadas em Feiras da Ladra e afins, para mais tarde sistematizarem em grupos a publicar. Neste número trata-se de fotografias de pessoas abraçadas a animais em que o humor da colectânea passa necessariamente pelo tipo de animal, e acreditem que há surpresas!
Mas a maior surpresa mesmo foi visitar a galeria e o atelier dos Die Schumper, associação de artistas com deficiências mentais que praticam Art Brut e que foi a minha subida ao Paraíso, tal a dignidade que os artistas são tratados e a força dos seus trabalhos... Um deles, o Rohullah Kazimi faz bordados de super-heróis e umas  BDs, algumas dos seus sonhos. Um must! Mas creio que sobre isto terei de falar num blog mais apropriado!

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

ccc@fanzine.fest.2014


Como temos feito desde 2012, edições nossas vão parar lá este evento. Quem tiver na zona que nos diga como foi...

Terminal Tower vs Amplifest 2014

TERMINAL TOWER @ AMPLIFEST, Hard Club, Porto

A exposição estará presente no Hard Club até ao dia 31 de Outubro. A entrada é gratuita.






Fotos de Jorge Silva


Fotos de Daniel Sampaio (Ponto Alternativo)

Foto de Cláudia Andrade (Arte-Factos)

Trailer do video de Augusto Lado para a apresentação de Terminal Tower:

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

More Satanic payola



"Discos" que só existem na Internet não são discos! E não costumamos divulgar neste blogue! Mas tal como ficamos rendidos com os Ocelot Kid (que deram ontem um óptimo concerto!) também tiramos o chapéu ao nosso camarada sueco Melanie is Demented!

Blind é o seu quinto registo, sempre a evoluir, saquem do sitio oficial do rapaz! E não venham dizer que se arrependeram e meteram logo o disco no caixote do lixo!

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

The Treviso Team


Os autores por cima: João Fazenda, Filipe Abranches, Alberto Corradi (comissário da exposição Quadradinhos : Sguardi sul fumetto portoghese) e Pedro Burgos. E editores por baixo: Marcos Farrajota e Luigi Filippelli da MalEdizioni (que tem publicado livros de BD portugueses em Itália). Fotografia de Joana Pires após uma conferência sobre BD portuguesa.
Grazie Alberto C., Alberto P., Nicola e Mirko (Mimisol)!
Entretanto os catálogos já chegaram a Portugal! Esta semana passarão a estar acessíveis ao público...

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

fotos da Aktion #40 - levaram mais desenhos do André Ruivo do que outros artistas!










Fotos do Take it or Leave it durante e depois do evento... Mais de 200 imagens para serem arrancadas pelo público - público esse que preferiu as do André Ruivo / Mystery Park!

sábado, 4 de outubro de 2014

ccc@amsterdam.zine.jam


Temos lá edições nossas. + info aqui

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Chili Com Carne und MMMMNNNRRRG @ »AKTION« (Hamburgo, Alemanha)

(desenhos de Nunsky + Aaron $hunga)

TAKE IT OR LEAVE IT
exhibition + performance + book/zine market

by
Chili Com Carne  * 1995, Lisbon, Portugal  Zine Collective
+
MMMNNNRRRG * 2000, Cascais, Portugal. Art Brut Comix Label

at
2025 AKTION * Hamburg, 3rd October 2014

For this »AKTION« we will give you prints of books we made in the last two years. You just have to choose your favourite drawing and take it out of the wall!

Why?
Because we are not a selfish corporate whore!

We like to give stuff, some with economic value… some not!

In this case these prints don’t have any economic value because they are “inDUSTrial wasteland” – proofs before the books go to the offset machine. We could sell them because nowadays, people buy anything (or everything?). Even museums and art galleries keep all kind of Art in the most poorest and degradable materials - from sponge foam to literally artist’s shit. A multiple, a copy, a simulacrum of a piece of Art that don’t have value per se can also turn into something worth to save it, protect it, profit from it, etc… at your home private collection. It’s ridiculous! Take it or leave it!

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Exposição de originais do Terminal Tower no Amplifest!


sobre o festival clicar aqui ... sobre o livro clicar AQUI