terça-feira, 4 de outubro de 2016

Os Acrobatas / The Acrobats - metade da edição esgotada


Finalmente, a estreia de Marcos Trindade!!!

Depois de tantos anos ignorados pelos editores nacionais eis uma primeira obra sua, datada de 2010, publicada pela (só podia!) MMMNNNRRRG.

Daqui a 100 anos, investigando o que foi as primeiras décadas deste milénio será impossível apagar a enorme corrupção das nossas actuais classes políticas, tal é a quantidade de registos que mostram a javardice dos nossos dirigentes, em que este livro será mais um testemunho deste nosso sofrimento.

Como muitos livros nossos em que a superfície engana a profundidade dos conteúdos, infelizmente, muitos olharão para Os Acrobatas como um manual de auto-ajuda para os "(blow)jobs for the boys" que queiram subir ao céu. A queda no entanto será fatal...

A MNRG agradece ao Tiago Manuel por nos ter colocado em contacto com o autor.

...
Edição limitada a 700 exemplares. Livro em acordeão impresso a cores. 34 páginas A6. 
Design de Joana Pires
Redigido em português e com tradução em inglês no verso da contra-capa.

PVP: 10€ (descontos para sócios da Chili Com Carne, jornalistas e lojas) disponível na loja em linha da Chili Com Carne e na El Pep, Tasca Mastai, Artes & Letras, Letra Livre, Mundo Fantasma, Matéria Prima, Quimby's (Chicago), Linha de Sombra, Pó dos Livros, Seite Books (Los Angeles) e brevemente na Utopia. 
...

Historial: lançamento no dia 6 de Fevereiro 2016 na Snob, em Guimarães ...









Feedback: Tal como outros M.T./T.M., há também nesta obra um mesclado entre a pintura, o livro ilustrado e a banda desenhada. (...) Nuno Sousa ... Num formatinho pequeno, faria recordar uma espécie daqueles foles de postais que se vendiam há uns anos, junto a monumentos ou paragens pitorescas, ofertando várias perspectivas ou facetas do que o título apresentasse. Os acrobatas, se for lido assim, oferece então várias faces de uma realidade hodierna da nossa sociedade, a de uma classe de pessoas que ocupa a paisagem social e a tingem com uma cor difícil de lavar. (...) Os assuntos de Os Acrobatas poderão ser identificados como graves: a adaptabilidade de uma certa classe de colunáveis da mundanidade (dos círculos mediáticos, económicos, políticos, talvez, nem sempre é claro, mas Trindade gostaria que esses fossem entendidos como tendo circunferências fluidas e com – demasiados? – pontos de passagem), a pedofilia, o compadrio político, os sinais exteriores de riqueza como sintoma de desequilíbrios na restante população, clichés que levam a que, como reza a famosa canção de Sérgio Godinho, “Só neste país é que se diz: só neste país”. Pedro Moura in Ler BD... Um livro-harmónio cujas imagens ilustram, entre a ironia e o sarcasmo mais violento, uma certa podridão moral que tem atravessado algumas esferas da política contemporânea, a dos jovens (e não tão jovens) que entram na política por exclusivo interesse próprio, destruindo a ideia do governo da pólis e erguendo, no seu lugar, o ritual diário de se autofavorecerem sem nenhuma preocupação com a comunidade. Blimunda

Sem comentários: