domingo, 25 de abril de 2021

sexta-feira, 23 de abril de 2021

CENSURAR ATÉ REEDUCAR ... BANIR QUEIMAR ABOLIR à venda na FLUR



Censura já!!
de

tradução de Ondina Pires
Colecção THISCOvery CCChannel, vol. -11
formato 16,5x23cm, 168p.
PVP: 13,12 eur


Precisamos de censura. Censura para impedir que a rádio expele o seu vómito imparável. Censura à “imprensa livre”, a qual cria uma versão dos eventos mundiais fantasiada e o enquadramento intelectual para assassínios em massa. Censura aos livros que fazem o mesmo que a imprensa: livros de memórias de figuras políticas e celebridades que deveriam estar presas em vez de aparecerem nos circuitos literários; memórias estas, adulteradas por escritores-fantasma. Censura à indústria cinematográfica por produzir em série apologias infantilizadas e imperialistas, e pornografia pró-tortura. Censura às artes, cujo estatuto de imunidade à culpa explica e perdoa a ideologia degenerada, a qual permite que toda esta “liberdade” seja possível de existir.

(...) Estás disposto a ser visto a ler um livro chamado Censura já!! em público? (...) Sentirás o teu cérebro a bater mal enquanto tenta acomodar-se a algumas novas estratégias hilariantes, absurdas e radicais de como viver neste mundo ridículo 
Washington Post

(...) Mantêm este livro contigo e lê-o, uma palavra de cada vez.
Los Angeles Review of Books

(...) Svenonius sempre foi o mais inteligente da turma... Em livro, Svenonius é como aquele teu amigo que adoras porque, mesmo que a sua visão se divida entre humor, paranóia e ira anti-social, ele nunca dissipa a tua fascinação de como ele chegou até lá. 
SF Weekly

Ian Svenonius é mais conhecido por ser o "frontman" das bandas Make-Up e Nation of Ulysses, mas é também um brilhante crítico cultural com o talento de trazer os melhores tópicos que poderás ler. Nesta colecção, Svenonius escrever poderosos argumentos a favor da Censura, acumular livros e discos, polémicas contra a Apple e Ikea, a "yuppieficação" do Indie Rock, e a depilação de pelos púbicos.
Buzzfeed

A capacidade de disparar em direcções, mais focado na libertação dos projecteis do que no seu trajecto ou eficácia, inclina a leitura para esse registo irónico, mas a assertividade de certas afirmações aponta no sentido inverso, como quando afirma que os muçulmanos dominaram a Península Ibérica apenas porque tinham açúcar... 

Que merda é esta? (...) suspiras, recuperas o fôlego e pegas na obra (...)
Luís Rattus in Loud!

(...) é uma análise política sobre o estado da cultura de uma forma um bocado irónica. E a ironia faz-nos pensar, sobretudo quando é bem feita (...)
Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta) no Expresso



...

Esta colecção de ensaios de Ian F. Svenonius reorganiza as ideias das pessoas sobre censura, Ikea, filmes documentais, o muro de Berlim, danças rock, depilação, Apple, a benevolência aparente da Wikipedia, acumulação de cultura, College Rock, as origens da Internet e muito mais...  até BD!! Foi considerado um dos melhores livros sobre Música em 2015, uma altura quando ainda havia concertos em caves imundas e imundícies em Festivais de Verão. 

Ian F. Svenonius nascido em 1968, Chicago, EUA. Activo na música desde 1988 até ao momento presente, como músico compositor, cantor, guitarrista e escritor, nos grupos Nation of Ulysses, The Make Up, Weird War, Chain and the Gang, Cupid Car Club, XYZ, Escape-Ism. Tem vários textos escritos para revistas e fanzines, alguns são compilados em livros como Recognize, The Psychic Soviet, Keep Your Eyes Open, Supernatural Strategies for Making a Rock 'n' Roll Group e pela primeira vez em português este Censura Já!! 




Podem encontrar uma entrevista ao autor na Stress.Fm na sua visita lisboeta em 2015.

E eis uma entrevista - Marx, Apple e Rock'n'Roll - no Público sobre este livro.








PS - a Lolita já tem o seu exemplar!! Ó:



terça-feira, 13 de abril de 2021

Haverá relação?


 

Claro que sim, ao melhorarmos a Música Portuguesa houve todo um vibe ecológico a sair daí! Efeito Borboleta, topas? O mundo vai melhorar graças à Chili e a à Rotten, acreditem! Obrigado Silas e Pipo Kimkiduk.

segunda-feira, 12 de abril de 2021

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Será a caneta mais poderosa do que a espada?

 


A edição portuguesa do Monde Diplomatique tem publicado, sob a nossa coordenação, as respostas em Banda Desenhada por uma série de artistas. Este mês é a vez de André Pereira, artista que tem participado em vários projectos da Chili Com Carne, sendo o mais recente Querosene - a lançar este mês - uma antologia que segue a grande tradição de incendiar terrinhas em Portugal.

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Mishima - Blade Manifesto - approved by Ryan C.'s Four Color Apocalypse!! YES!


On the 25th November 1970 japanese writer Yukio Mishima (三島由紀夫 ) commited his ritualistic suicide. 50 years after, at the same day and month, our  RUBI collection released the book Mishima - Blade Manifesto by Portuguese artist Tiago Manuel

It's a graphic reading of Confessions of a Mask (1949), book that Mishima started writting also on the same day and month. This "Manifesto" was made by Tiago Manuel for an exhibition for Ciclo Mishima - Um Esboço do Nada, program dedicated to the write by Belém Cultural Center (CCB) in 2008 and after twelve long years finally it was published in book form - only a small except was published in #20 of Kuš! (Latvia) in 2015. 

The artist used scissors that shattered the original work, not to destroy it, but to honor it by making it bleed images. We hope this vision of Tiago Manuel will open an intellectual battle between "Comics" and conceptual drawing purists.

This edition includes also Visions of Mishima, a text written by curator António Mega Ferreira.


BUY @  our online shop and Quimby's (Chicago)












Four different drawing were printed in risograph at Desisto. One of these images will be a gift to you if you buy directly to Chili Com Carne, There is 25 copies of each, all signed and numbered by the artist.



FEEDBACK

His works reminds me of Roland Topor's works and has a touch of Polish film posters. - DJ Cat Goshie (by email)

...

Best Portuguese Books 2020 in Expresso newspaper

...

Tiago Manuel is a national treasure (...) - Gabriel Martins in Paul Gravett site

...

exciting, experimental recent release in Portugal, (...) Tiago Manuel's Mishima: Blade Manifesto is an evocative suite of transforming text-free images, one per spread (...). - Paul Gravett on FB

...

Ostensibly a “graphic adaptation” of Mishima’s Confessions Of A Mask rendered as a series of wordless mixed-media illustrations (each presented within the gorgeous open-bound book adjacent a blank page for maximum consideration value and, if we’re being brutally honest, impact), it would be a mistake at best, betrayal at worst, to think of Manuel’s “suite” as concerning itself overly much with the literal aspects of its subject — after all, if conveying such were his intention, he could have simply gone the “prestige graphic novel” route. Rather, it is the character and philosophy of the work that we are both welcomed to explore and confronted by herein, and while original exhibition curator Antonio Mega Ferreira’s “Visions Of Mishima” text piece serves to set the table, it is the artwork that is the main course, replete as it is with all the martial precision, poetic beauty, unrequited longing, and psychosexual pathology that informed both the narrative it takes it cues from and, of course (and much more crucially, in my view) its author. - Ryan C.'s Four Color Apocalypse

§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§


Tiago Manuel (1955; Viana do Castelo) did his artistic training with the masters Aníbal Alcino and Júlio Resende. His work has been presented in the country and abroad in institutions and reference galleries. He has received several awards. Since 2013, he has been responsible for the artistic direction and organization of temporary exhibitions dedicated to illustrating artists, a project by Rui Faria Viana for the Municipal Library of Viana do Castelo. He is the artistic director of BIG - Bienal de Ilustração de Guimarães, a cultural project of the Guimarães City Council, created in 2017 in co-authorship with Rui Bandeira Ramos.

As an illustrator, he published in the newspapers Público, Expresso, Jornal de Letras, Letras & Letras, O Diário and Postas de Pescada, in the magazines Colóquio/ Letras (Calouste Gulbenkian Foundation), Ler-Círculo de Leitores, Cão Celeste, Intervalo, Bestiário and Torpor and in the publishers Âmbar, ASA, Afrontamento, Media Vaca (Valencia), Bertrand, Abysmo. Since 2000, he has published 10 of his 25 heteronyms (19 books), four of them published by MMMNNNRRRG

Some solo exhibitions: Galeria Abysmo, Lisbon, 2014; “Mishima, Manifesto de Lâminas”, Centro Cultural de Belém, Lisbon, 2008; Galeria Spectrum Sotos, Zaragoza, 2008; Galeria Palmira Suso, Lisbon, 2007; Lugar do Desenho, Júlio Resende Foundation, Gondomar, 2002. Some group exhibitions: “Sem Consenso”, Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira, 2015; Annual Comic and Cartoon Art Competition, Society of Illustrators, New York, 2014; Arco, Casa da Cerca, Almada, 2008; Prémio Stuart, Lisbon, 2007, 2006, 2004; Salão Lisboa de Ilustração e Banda Desenhada (Bedeteca de Lisboa), 2004, 2002, 2001, 2000.

Latest works: 40 drawings for the website of the film Arabian Nights by Miguel Gomes, 2013/2014; poster for the film Gambozinos by João Nicolau, Quinzaine des Realizateurs, Cannes, 2013; poster for the film Ruínas by Manuel Mozos, IndieLisboa Festival, 2009; O sangue por um fio, poetry book by Sérgio Godinho, Assírio & Alvim, Lisbon, 2009.

domingo, 4 de abril de 2021

E ao terceiro dia, o mini-CD esgotou (4:4:21)



Terceiro volume da série Música Portuguesa a Melhorar-se Dela Própria, mais uma vez pela Chili Com Carne e Rotten / Fresh (ou Trash quando se trata de melhorar a música!). Desta vez temos Vaporwave sobre quem tem complexos de Messias (isso define quase toda a população portuguesa, bem sabemos, mas neste caso falamos de um vocalista de uma banda Pop) até porque estamos aqui para salvar a Páscoa!

Re7 é dos Golfinhes, projecto que melhorou a maior banda de Cascais é demais

Tomem lá nota de imprensa:

Acompanhando a celebração do seu trigésimo quinto aniversário, a rotten / trash em parceria com a Chili Com Carne, na sua série Música Portuguesa A Melhorar-se Dela Própria, desenvolve um tributo magnânimo àquela que, porventura, será a maior banda de Ca$cai$ de sempre: Os Delfins e o seu arrebatador disco 7 - um disco basilar para a cultura pré-internet e revolução tecnológica do novo milénio (Y2K). 
 
Poucas são as nações que se podem orgulhar de possuir tão munificente obra no seu acervo cultural. 7 gritou de medo da internet! 7 uivou por Sharon 7tone7 assume a felicidade homossexual numa sociedade patriarcal neomilenar! 7 fez-se notar, ostentando-se na camisola do maior ídolo português desde a padeira de Aljubarrota: o grande CR7. sofre um re7, saindo da obscuridade a que foi remetido pelos lascivos poderes da industria da memória, deixando-nos expostos a toda a genialidade lírica e instrumental destes golfinhos cascalenses – terra de onde a Chili Com Carne é natural, diga-se de passagem.
 

Desde cedo se provou a qualidade artística do vocalista do grupo, participando este não só no Festival da Canção de 1985, conquistando a última posição diante de todos os participantes - um marco! -, como também na fileira de jurados do programa Chuva de Estrelas (SIC, 1995) ou numa aparição divina na derradeira edição de Big Brother (TVI, 2000) com o tema Vive - uma singela referência à ressurreição de Cristo - Este interpretado por Miguel Ângelo – o Messias da música - na peça Breve Sumário da História de Deus, de Gil Vicente, no Teatro Experimental de Cascais, em 1994, e de onde retiramos inspiração para a data de edição deste nosso franco tributo: Os Golfinhes - re7.


†  †  †
 
Jesus Cristo no céu, Miguel Ângelo em Cascais. Feliz Páscoa 2021. 

† † 
† 
† 
 
Mini-CD. Edição limitada a 50 cópias - ESGOTADO!


Os Golfinhes em acção!
Os Golfinhes em acção!