blogzine da chili com carne

domingo, 3 de julho de 2022

Casal de Santa Luzia

 



O novo Mesinha de Cabeceira foi impresso em risografia pela super-bacana Mago Studio

Carambinha, o MdC também sabe andar na moda mesmo com 30 anos de existência!!

E não é só sobre... gatos! 

Casal de Santa Luzia é realmente mais do que isso. Matilde Basto (2001) vai mais longe nesta banda desenhada para criticar uma cidade - Lisboa, que não haja dúvidas - que se vende ao metro quadrado sem qualquer enquadramento ecológico ou sociológico. O ambiente da BD entra em algo de Fantástico - lembra superficialmente o início da série Gideon Falls - sem nunca entrar numa aventura sci fi espectacular. Se há fogo de artifício esse passa pela mix-art da autora.

BD de 48 páginas mais ou menos A5, impressa uma cor (verde) em risografia e uma capa a duas cores, é mais um fascículo deste zine que comemora os seus 30 anos, sendo que a obra foi realizada no âmbito de um estágio não-explorador da London College of Communication entre Março e Maio 2022.




Pode ser adquirido na nossa loja em linha! E já chegou à Linha de Sombra, Tigre de Papel, Kingpin, Matéria Prima, ZDB, Snob e Tinta nos Nervos.


Em breve um lançamento no Penhasco...

sábado, 2 de julho de 2022

Mishima - Blade Manifesto @ Just Indie Comics


On the 25th November 1970 japanese writer Yukio Mishima (三島由紀夫 ) commited his ritualistic suicide. 50 years after, at the same day and month, our  RUBI collection released the book Mishima - Blade Manifesto by Portuguese artist Tiago Manuel

It's a graphic reading of Confessions of a Mask (1949), book that Mishima started writting also on the same day and month. This "Manifesto" was made by Tiago Manuel for an exhibition for Ciclo Mishima - Um Esboço do Nada, program dedicated to the write by Belém Cultural Center (CCB) in 2008 and after twelve long years finally it was published in book form - only a small except was published in #20 of Kuš! (Latvia) in 2015. 

The artist used scissors that shattered the original work, not to destroy it, but to honor it by making it bleed images. We hope this vision of Tiago Manuel will open an intellectual battle between "Comics" and conceptual drawing purists.

This edition includes also Visions of Mishima, a text written by curator António Mega Ferreira.


BUY @  our online shop and Quimby's (Chicago),  Modo (Italy) and Just Indie Comics (Italy)












Four different drawing were printed in risograph at Desisto. One of these images will be a gift to you if you buy directly to Chili Com Carne, There is 25 copies of each, all signed and numbered by the artist.



FEEDBACK

His works reminds me of Roland Topor's works and has a touch of Polish film posters. - DJ Cat Goshie (by email)

...

Best Portuguese Books 2020 in Expresso newspaper

...

Tiago Manuel is a national treasure (...) - Gabriel Martins in Paul Gravett site

...

exciting, experimental recent release in Portugal, (...) Tiago Manuel's Mishima: Blade Manifesto is an evocative suite of transforming text-free images, one per spread (...). - Paul Gravett on FB

...

Ostensibly a “graphic adaptation” of Mishima’s Confessions Of A Mask rendered as a series of wordless mixed-media illustrations (each presented within the gorgeous open-bound book adjacent a blank page for maximum consideration value and, if we’re being brutally honest, impact), it would be a mistake at best, betrayal at worst, to think of Manuel’s “suite” as concerning itself overly much with the literal aspects of its subject — after all, if conveying such were his intention, he could have simply gone the “prestige graphic novel” route. Rather, it is the character and philosophy of the work that we are both welcomed to explore and confronted by herein, and while original exhibition curator Antonio Mega Ferreira’s “Visions Of Mishima” text piece serves to set the table, it is the artwork that is the main course, replete as it is with all the martial precision, poetic beauty, unrequited longing, and psychosexual pathology that informed both the narrative it takes it cues from and, of course (and much more crucially, in my view) its author. - Ryan C.'s Four Color Apocalypse

§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§


Tiago Manuel (1955; Viana do Castelo) did his artistic training with the masters Aníbal Alcino and Júlio Resende. His work has been presented in the country and abroad in institutions and reference galleries. He has received several awards. Since 2013, he has been responsible for the artistic direction and organization of temporary exhibitions dedicated to illustrating artists, a project by Rui Faria Viana for the Municipal Library of Viana do Castelo. He is the artistic director of BIG - Bienal de Ilustração de Guimarães, a cultural project of the Guimarães City Council, created in 2017 in co-authorship with Rui Bandeira Ramos.

As an illustrator, he published in the newspapers Público, Expresso, Jornal de Letras, Letras & Letras, O Diário and Postas de Pescada, in the magazines Colóquio/ Letras (Calouste Gulbenkian Foundation), Ler-Círculo de Leitores, Cão Celeste, Intervalo, Bestiário and Torpor and in the publishers Âmbar, ASA, Afrontamento, Media Vaca (Valencia), Bertrand, Abysmo. Since 2000, he has published 10 of his 25 heteronyms (19 books), four of them published by MMMNNNRRRG

Some solo exhibitions: Galeria Abysmo, Lisbon, 2014; “Mishima, Manifesto de Lâminas”, Centro Cultural de Belém, Lisbon, 2008; Galeria Spectrum Sotos, Zaragoza, 2008; Galeria Palmira Suso, Lisbon, 2007; Lugar do Desenho, Júlio Resende Foundation, Gondomar, 2002. Some group exhibitions: “Sem Consenso”, Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira, 2015; Annual Comic and Cartoon Art Competition, Society of Illustrators, New York, 2014; Arco, Casa da Cerca, Almada, 2008; Prémio Stuart, Lisbon, 2007, 2006, 2004; Salão Lisboa de Ilustração e Banda Desenhada (Bedeteca de Lisboa), 2004, 2002, 2001, 2000.

Latest works: 40 drawings for the website of the film Arabian Nights by Miguel Gomes, 2013/2014; poster for the film Gambozinos by João Nicolau, Quinzaine des Realizateurs, Cannes, 2013; poster for the film Ruínas by Manuel Mozos, IndieLisboa Festival, 2009; O sangue por um fio, poetry book by Sérgio Godinho, Assírio & Alvim, Lisbon, 2009.

sexta-feira, 1 de julho de 2022

Chicão: lançamento no Zénite amanhã, às 18h


O Chicão já anda nas últimas!!! Teve mais sucesso que o outro nas últimas eleições...


R. Passos Manuel 116A, 1150-260 Lisboa

O título não engana...




MdC don't stop!

No ano de comemoração dos 30 anos do Mesinha voltamos às nossas raízes de produção amadora, verdejolas, rude mas com mais pica do que os "profissionais". Fuck them!

A Ângela Cardinhos é uma força da natureza e esta é sua primeira Banda Desenhada - assim longa mas curta, difícil de explicar - que despreza o mundinho de "normies" empreendedores que são tão normais e tão saudáveis que acabam por ser esses mesmos que batem punhetas de frente para gajas numa carruagem de comboio... da linha de Cascais.

Obra realizada num estágio não-exploratório do IEFP, são 44 páginas A5 de quotidiano feminino e sonhos de cão, aliás, de Chicão!

Publicado pela Associação Chili Com Carne em Maio de 2022.

Como este número é "dedicado à Direita portuguesa" começamos por colocar este zine logo à venda em Cascais, esse bastião da betalhada, "coxinhas" e outros fachos. É de ir já à Alquimia

Já foi prá Tinta nos Nervos e que o comentou desta forma: Nem imaginas! O 3° zine a assinalar o aniversário do Mesinha de Cabeceira (...) vai de uma one night stand a uma visão dura do quotidiano social e acaba em... não digo, tens de ler. Mas não vais acreditar. Roman à clef em zine esguio.

E está na Kingpin, ZDB, Tigre de Papel, Stet, Snob, Linha de Sombra e Matéria Prima



+ feedback:

Man curti bueeeeé o Chicão, ela dá-lhe! Fartei-me de rir mas, aquele fim... Caraças. Ontem foi o gato maléfico da Ilha dos gatos, hoje o cão taralhoco do mal... Só pesadelos!!
Rodolfo Mariano (via email)

Está bastante baseadinho, (...) A história é excelente e a Ângela tem alguma coisa na cabeça, gostei bastante de ler uma bd com uma personagem feminina realmente robusta e moderna, sem moralizações de merda, nem aquele estilo de vida aburguesado da bd da outra Dilady no Nódoa Negra. (...) Ah, curti muito mais disto do que do Gente Remota ou o caralho...
A. (via email)

Fucking great!
Flynn Kinney (via email)

quarta-feira, 29 de junho de 2022

Chili com Yuzin 2022



A parceria de construir "BD-cadáveres-esquisitos" entre a Chili Com Carne a a agenda cultural açoreana Yuzin continua este ano. Infelizmente a especulação com o papel atingiu as ilhas e a impressão mensal das BDs foi cancelada, passando para as redes sociais da Yuzin como o Fezesbook e o Instagrana! Enfim o digital domina MAS no fim faremos um livro como aconteceu com o do ano passado! Yeah!!!

O ritmo destas BDs de continuação continuará mensal sendo que já podem ler a da Mariana Pita que no ano passado teve o azar de ter de acabar com o caos narrativo daquela BD. Para a compensar pusemos este ano a começar uma nova BD. Ah! Este ano além de cada participante ter de continuar a BD do artista anterior, ainda tem um tema especial para explorar. Eis a listagem dos artistas e respectivos "temas" para quem estiver curioso: Junho: Mariana Pita - Fotossíntese; Julho: Inês Louro - Divino; Agosto: Daniela Viçoso - Folia;  Setembro: Carlos Carcassa - Réplica; Outubro: Mário Roberto, que é o convidado açoriano deste ano - Eclipse; Novembro: Rudolfo - Conflicto; e em Dezembro: Rui Moura - Monumento.

La Terrible Histoire des Trois Cervaux de Magnólia --- ESGOTADO




Já anda por aí a BD-assalto-colorido-aos-olhos La Terrible Histoire des Trois Cervaux de Magnólia da Alexandra Saldanha... é o novo Mesinha de Cabeceira!!!

2022 significa para o Mesinha de Cabeceira 30 anos de existência - será em Outubro a mega-festa, cóf cóf cóf - e estou muito satisfeito com esta nova "fórmula editorial" começada o ano passado com A Fábrica de Erisicton, ou seja, usar o Mesinha para publicar os primeiros trabalhos de novos autores - retomando o verdadeiro espírito do zine, estando também atento aos novos tempos.

 Alexandra Saldanha (1996, Guimarães) é mais conhecida pelo seu envolvimento na música com a banda Unsafe Space Garden e a editora Discos de Platão mas entretanto já participou com BD no Monde Diplomatique - Edição Portuguesa e na agenda cultural Yuzin - apara além de colaborar no jornal A Batalha.

Este é o seu primeiro trabalho de fôlego onde nós, meros mortais, testemunharemos um conteúdo indisciplinado, total extravagância de cores e colagens infinitas - desconfio que "fractal" seja o segundo nome desta artista. Tal como o último álbum da sua banda Unsafe Space Garden, Saldanha tenta ajudar-nos, a nós humanos, a termos um sentido para as nossas vidinhas, e falha totalmente e extravagantemente. É obra! É shanticolour! É RGB daemon! É crazy! - Marcos Farrajota, editor do MdC

PS - a BD está redigida em português, só o título está em franciú sabe-se lá pourquoi...


Mesinha de Cabeceira #30, ed- limitada a 100 ex., 24p. a cores + capa a cores 18x24,5 cm, agrafado

ESGOTADO mas deve estar alguns exemplares nas lojas ZDB, Utopia, Tinta nos Nervos, Linha de Sombra, Tasca Mastai, Snob, Kingpin Books, Tigre de Papel e Matéria Prima.



FEEDBACK

A capa é... fodida. Muito bom!
B.M. (por email)

Saldanha parece querer fazer-nos demorar tanto tempo na leitura de cada uma das suas pranchas quanto o tempo que as levou a realizar. E, graficamente, vale a muito a pena! Se se chegar ao final insatisfeito com a narrativa, relembra-se que é o primeiro grande trabalho da autora em BD. Mas o potencial está todo lá!

terça-feira, 28 de junho de 2022

Cracking de Tommi Musturi / últimos 19 exemplares na Chili!!!


O novo livro do artista finlandês Tommi Musturi - na linha do Beating ou seja "obra gráfica" e não BD - foi lançado oficialmente na inauguração da exposição do autor na Tinta nos Nervos, que esteve patente entre 6 de Novembro e 9 de Janeiro de 2022, com a presença do autor. Tudo intitulou-se de Cracking

A exposição seguiu para o Porto no espaço do Clube de Desenho entre 26 de Fevereiro e 16 de Abril. E segue esta semana para a Bedeteca de Beja, entre 23 de Abril e 18 de Maio.

Este belo monstrinho hiper-colorido está disponível na loja em linha da Chili Com Carne bem como na Tinta nos Nervos, nossos parceiros nesta edição limitada de 300 exemplares - do nosso lado só faltam 19 exemplares para esgotar

Também está na Alquimia, BdMania, Kingpin Books, Linha de Sombra, Snob, Tigre de Papel, Utopia, Sirigaita, Senhora Presidenta, Paperview e ZDB. 


A Tinta tirou umas fotos ao livro e disse isto: CrrrrrrRRRRRR.... Crack! CRACKING!! As engrenagens rebentaram do esforço titânico na impressão do maelstrom gráfico do mutante @tommimusturi. Esta colectânea de trabalho de quase 10 anos do autor finlandês é uma edição simultânea internacional, cuja versão portuguesa é uma co-venture da @chili_com_carne e da própria @tinta_nos_nervos. A nossa aventura enquanto editores associa-se à ocasião da futura #exposição do artista, este Novembro. Stay tooooned!!



Reconhecido artista de múltiplos e cambiantes estilos, este imenso volume reúne trabalhos éditos e inéditos de natureza gráfica muito variada do autor finlandês, produzidos desde 2013. Encontraremos aqui alguma pintura, posters, ilustração, pixel art, e mesmo esboços e outros objectos díspares. Uma verdadeira tempestade, que demonstra acima de tudo uma indómita vontade em criar imagens, subsumindo todas as circunstâncias dos seus "pedidos" à única força que Musturi pode seguir. 

 O livro contém ainda um ensaio do próprio autor sobre práticas artísticas contemporâneas em fronteiras que o teimam ser, e "liner notes" de todas as obras incluídas. Esta edição teve edição simultânea internacional, sendo a portuguesa uma colaboração entre a editora Chili Com Carne e a Tinta nos Nervos, por ocasião da exposição que esteve patente de Tommi Musturi entre Novembro de 2021 e Janeiro de 2022 na galeria Tinta nos Nervos.

...

sobre o autor


Tommi Musturi (Ruovesi, Finlândia, 1975) é um autor de banda desenhada, conhecido pelo seu estilo camaleónico que lida com temas existenciais rodopiando no ideal da liberdade. A sua expressão artística usa vários métodos que vão desde o simples rabisco até à criação de um estilo singular para uma mensagem específica.


 Está envolvido no mundo editorial e curatorial, fazendo parte desde 2005 do colectivo de BD Kutikuti. Tem publicado mais de 40 títulos, entre fanzines, romances gráficos e livros de arte, sendo o seu trabalho mais conhecido a personagem que lembra um fantasma, Samuel, cujos dois volumes foram publicados em Portugal. Participou em mais de 200 exposições pelo mundo fora, incluíndo Lisboa, Beja e Porto. 


Musturi vive com a sua mulher e filha na aldeia de Siuro, no sul da Finlândia.


Em Portugal o seu trabalho foi divulgado nas antologias QuadradoMesinha de Cabeceira, MASSIVE, no jornal A Batalha e na revista Argumento. A solo foram publicados Caminhando com Samuel (MMMNNNRRRG; 2009, 2ª edição 2016), To a stranger (Opuntia Books; 2010), Beating (MMMNNNRRRG; 2013), Simplesmente Samuel (MMMNNNRRRG; 2016), O.O.M. (Mundo Fantasma; 2017) e Antologia da Mente (MMMNNNRRRG; 2018). 

The Reading Gaze : "My Comics" by Domingos Isabelinho soon at Quimby's (Chicago) and Just Indie Comics (Italy)



volume +08 of Thiscovery CCCChannel collection published by Chili Com Carne and Thisco in June 2022

156p. 16,5x23cm black & white, color cover, limited to 150 copies

These essays were originally published, in a slightly different form, in the magazines Satélite Internacional (Oporto, 2005) and L’indispensable (Nîmes, 2011), Indy Magazine online site (USA, 2004) and on the blogs The Crib Sheet (Portugal, 2008-10, 2015) and The Hooded Utilitarian (USA, 2010-11, 2013).

...

The index of the book includes the following themes: 
WHAT IS A COMICS FAKE, THE EXPANDED FIELD OF COMICS AND OTHER PET PEEVES, THE ORIGIN’S MYTH, CARICATURE, THE BLIND MEN AND THE ELEPHANT, UT PICTURA POESIS, SOME CONSIDERATIONS ABOUT THE GRAPHIC NOVEL, BRUNO LECIGNE ON THE MIXING UP OF THE LANGUAGES, COMICS THEORY AND CRITICISM, ANA HATHERLY, JACQUES CALLOT, THE CANTICLES OF SAINT MARY, FRANS MASEREEL, KATSUSHIKA HOKUSAI, OTTO DIX, PABLO PICASSO, MARTIN VAUGHN-JAMES, ALAN DUNN, ROBERTO ALTMANN  and FRANCIS BACON. 

...


“It was February 24, 2004, 08:27 AM, on the Comics Journal Messboard.” This is the first phrase of my blog, The Crib Sheet. What happened at that particular day and particular hour was that I, fed up with the accusation of not liking comics, decided to write a list of my favorite ones. With that list my answer was: I like comics, I just don’t like the same comics you like. This is the genesis and explanation of this book’s subtitle, “My Comics.” On the other hand, if you insist that I don’t like comics because what’s in this book are not precisely cartoonists, don’t worry, I like them too, they’re just not here yet because I divided the comics corpus in two: The Extended Field and The Restrict Field. This book is, then, an anti-essentialist stance, a cry of freedom from India Ink on board, if you like... 
Domingos Isabelinho 

...

Domingos Isabelinho was born in Lisbon in 1960.  He contributed to the magazines Nemo, Quadrado, Satélite Internacional, Splaft!, various catalogs of the Porto, Lisbon, Amadora comics conventions (Portugal), The Comics Journal, The International Journal of Comic Art (U.S.A.), L’indispensable (France), European Comic Art (UK). He also wrote the preface to one of the latest editions of Guido Buzzelli’s book I Labirinti (Italy). He co-curated a Buzzelli exhibition in Lisbon and an exhibition of his original art collection in the Beja Comics Convention (Portugal).  He wrote twenty three entries in the book 1001 Comics You Must Read Before You Die (UK). In 2012 He was invited to the seminar Aesthetics of Contemporary Comics in Oslo (Norway).

...

You can buy HERE - available also at Tinta nos Nervos, Kingpin Books, Linha de Sombra, Snob and ZDB - all in Lisbon. Soon: Matéria Prima (Porto), Quimby's (Chicago) and Just Indie Comics (Italy).

...

Feedback:

Domingos Isabelinho has been called by Jan Baetens "the most virulent comics critic" and there's a truth to it. This book collects essays that draw a much-needed anti-canon. As he calls it, an Expanded Field of Comics takes our heads out of our asses in typical assumptions. A+! 

domingo, 26 de junho de 2022

Sudarium​-​Wearing Thugs & Krakens (The Inner​-​Ear Tales - One) ATENÇÃO últimas 3 cópias!!!!


 
Eles estão aqui! 
Fantasmas de metal, bruxas, krakens... numa massiva colagem sonora de Blunt Instrument, aka, André Lemos
Conhecido pelos seus desenhos de outros mundos, Lemos é também editor da Opuntia Books e esta é a sua primeira edição no mundo do som. 
Um álbum fora-do-tempo-para-o-futuro, reminiscente da abordagem da pilhagem sonora dos anos oitenta e além, agora lançado numa joint venture Black Hole Time Warp + Chili Com Carne.

Edição lançada no dia 8 de Abril de 2022, o álbum Sudarium​-​Wearing Thugs & Krakens (The Inner​-​Ear Tales - One) existe edição limitada de 66 k7s e ilimitada no mundo do digital.

Da nossa parte só já temos 3 cópias!!




They're here! Metal ghosts, witches, krakens... in a massive sound collage work by Blunt Instrument, aka André Lemos. 
 Known for his other worlds drawings, Lemos is also the publisher of Opuntia Books and this is his first release into the realms of sound. An out-of-time-into-the-future album, reminiscent of the plunderphonics approach of the eighties and beyond, now released in a Black Hole Time Warp + Chili Com Carne joint venture. 

Sudarium​-​Wearing Thugs & Krakens (The Inner​-​Ear Tales - One) is a limited edition of 66 cassettes and an unlimited digital released in April 8, 2022 

André Lemos: computer, field/ home/ street recording, voice, home appliances, miscellaneous editing, mixing... All tracks cut, scavenged, assembled & mixed by André Lemos (Jul. 2020/ Jan. 2022). Original drums on Tara Huma Raz played by Silvestre Lemos. Words on Botanik Ferox and Djinn Enforcer by Nigel McMagan. Drooling Drill first released in Saliva Sonographic Zine #1 (Jul. 2020). Botanik Ferox first released in Saliva Sonographic Zine #2 (Dec. 2021).


FEEDBACK

 There are various Blunt Instruments, but this particular one is André Lemos (...) Over a period of one-and-a-half years, he worked on the fourteen tracks on his debut cassette and throughout, there is a powerful love for plunderphonics to be noted. Blunt Instrument lifts his sounds left and right, everything from drums, guitars and vocals. The result is a wild mix of sounds, songs, ideas and sketches. Some of these are firmly rooted in Tape-Beatles, Negativland or People Like Us, but Blunt Instrument also takes his inspiration from both industrial music and hip hop. As far as I can judge, Blunt Instrument isn't interested in conveying a political or sociological message. If anything, then the message could very well be that stealing sounds left and right for the benefit of making new music is a great thing. At times I was reminded of DJ T-1-11, a long-forgotten plunderphonic (...) but less dance-oriented. Blunt Instrument, implied by the name, is more about heavy guitar and industrial rhythm. Of course, a few snippets sound familiar, but I just don't seem to remember their title. Thanks, Blunt Instrument, for sticking that in my head! Lovely tape!

This is oddball coming from Portugal, by the hands of illustrator André Lemos. Surrealistic saturated collage of rhythms, vocal samples and random odd sounds that form a wide and sometimes playfull pallette through which Lemos crafts a sonic version of his uncanny illustrations. While listening to this I cannot refrain from thinking about Nurse With Wound as well as some French old school projects such as Brume or Negativland. More akin to musique concréte than to "noise", expect moments of highly unsettling intensity and frantic complexity.

Vai ficar uma brasa... que vai ser preciso beber cerveja!!


30 anos é muita idade para um fanzine!!

Suspeitamos até que possamos ficar xéxés. No entanto o Mesinha de Cabeceira sabe o que faz - é a vantagem dos mutantes. Criado por Marcos Farrajota e Pedro Brito em 1992, já foi de tudo, fotocópia barata, perzines de Farrajota, serigrafia, alto, baixo, agrafado, brochado, grosso, fininho, graphzine, antologia e muitos trabalhos a solo, indo desde o infame norte-americano Mike Diana até ao cometa Nunsky

Desde o ano passado que este título lembrou-se de voltar às bases, publicando monográficos de novos talentos, projectando-os prá praça pública. Foi o que aconteceu com André Ferreira e Alexandra Saldanha. Agora, de uma assentada só, e aproveitando a sobrevivente e sexta edição da Raia, lançámos dois títulos. 

E não poderiam ser mais diferentes entre eles.




O número 31 é do jovem Marco Gomes (Hamburgo; 1995) que começa uma série de BD, Cerveja Depressão, com uma história intitulada Das Schwarze Lock (trad.: O Buraco Negro). Cerveja Depressão é um mergulho nas fantasias perversas e depressões que andam de mão em mão com o fundo de cada garrafa, copo ou lata (para os menos refinados) do qual tanto usufruímos para nos adormecer da realidade por uns breves momentos, mas que nos atira para um vazio sem fim. Das Schwarze Loch é uma aventura num mundo embriagado criado na sua própria mente onde é obrigado a enfrentar dos seus mais profundos medos. O ritmo é alucinante e faz de Marco um potencial autor a conquistar os mercados do mundo. 

Força, meu!

O número 32 é o regresso maroto de André Ruivo (Lisboa; 1977) à Chili Com Carne (lembram-se do Mystery Park?) e ao Mesinha de Cabeceira onde colaborou entre 2003 e 2005. Hot é também é um regresso do Mesinha ao formato graphzine, apesar de uma mini-BD aqui metida! Este molho de desenhos cheios de rabiosques, pilinhas e maminhas prova que o sexo em 2022 pode ainda a ser divertido e amoroso. Chuac!




Entretanto a Tinta nos Nervos disse sobre o HOT: explorando o modo como os corpos e os sexos (todos e tantos) podem ser tão lúdicos como o Lego. Apenas para vacinados! E a cores!  E a Sara Figueiredo Costa no Livros para atravessar a semana escreveu: A edição #32 do Mesinha de Cabeceira, publicação polimorfa que já foi fanzine fotocopiado na velha escola e encadernação com lombada, de autoria individual ou colectiva, é assinada por André Ruivo. Hot é um livrinho onde a nudez, a intimidade e o sexo se mostram em linhas claras e cores saturadas, sempre com um olhar terno, atento aos pequenos gestos da comunicação e do toque. Um homem e uma mulher compõem o par que entra nesta dança do desejo, ambos munidos de um corpo que se revela sem vergonhas e de uma vontade de chegar ao outro que implica diálogo e negociação com vista ao prazer. Como sempre, as imagens e as pequenas narrativas que se vão estruturando nascem de desenhos falsamente simples, uma linha que define a forma e manchas de cor que lhe dão contraste, textura e movimento, guardando-se em cada composição um manancial de sentidos, pequenos pormenores sobre o modo como nos relacionamos, como pensamos, como podemos perder-nos em tantos “ses” e “porquês”, como o humor é também uma partilha. Por entre a nudez explícita e o sexo sem cortinas para disfarçá-lo, Hot é um livro delicado e muito perspicaz sobre o desejo e as suas esquinas e também sobre como nos encontramos a nós mesmos/as quando nos perdemos num corpo alheio. 

E o Bandas Desenhadas sobre a "cerveja": Com um ritmo desenfreado, quase como se fosse um sucedâneo de Tex Avery, Marco apresenta-nos uma imaginativa e divertida viagem, revelando um autor que merece toda a nossa atenção...

................


Hot encontra-se na Kingpin, Tigre de Papel, Tinta nos Nervos, Alquimia, ZDB, Matéria Prima, Snob e STET.
E a "Cerveja" está na BdMania, Kingpin, Tigre de Papel, Tinta nos Nervos, Universal Tongue, Alquimia, ZDB, Snob, Matéria Prima e Linha de Sombra.

Se não quiser mexer o rabo é comprar AQUI.