quarta-feira, 25 de janeiro de 2006

O Porto de alto a baixo

A visita à Mula (feira de zines nos Maus Hábitos) deu na compra de novidades várias de zines que desconhecia:


A fome faz sair o lobo do mato
O Senhorio; Jan'06?
Zine de ilustração no formato A3 é uma bomba! 17 desenhos de Carlos Pinheiro que fazem lembrar - pelo aspecto "clássico" e pelos temas "ligeiramente perversos" - aos trabalhos da irlandesa Terry Morgan ou o inglês Tim Morris (cof, cof!). São na essência desenhos de uma página de corpos que parecem figurantes de um ridículo qualquer - sexual, violento, bizarro, disfarce de animal. O grafismo aliado ao formato do zine tem um impacto incrível. Uma das melhores edições desde últimos tempos... [pinheiro1000@hotmail.com] 4,5


O Senhorio #Pingue
O Senhorio; Mai'05
O formato A5 foi o escolhido para este zine que muda de nome número para número e que é editado pelo colectivo O Senhorio onde encontramos Marco Mendes, Miguel Carneiro (os gajos d'A Mula), o referido Carlos Pinheiro e uns quantos outros. Há bd e ilustração na maior parte com alguma piada, em que a Arte é a principal visada em ataques mais ou menos óbvios. [acsenhorio@yahoo.com] 3,5


A voz de Deus #2
Edições Mortas; 2005
Nova produção do emblemático A. de Silva O. que vai buscar a psicopatologia-gráfica do Punk para fazer um zine todo ranhoso & caótico... só que o que temos aqui não é uma vulgaridade de artigos da praxe mas antes artigos escritos pela nata iluminati do undeground português: Fernando Guerreiro, Jorge Mantas, Nuno Rebocho, Mário Augusto, ... sobre GG Allin, Merzbow, filmes de terror, e outros «mauditos». Para ler isto é preciso ter uma ginástica de leitura de imprensa Punk já bem treinada. À venda na livraria Pulga. 3


C(r)oquete
...; 2005?
"Resmas de gaijas" fizeram este zine A6 que vem dentro de uma bolsa de pano. A mensagem que devem querer passar é que as "gaijas" também são boas para fazer Arte ou para estarem neste planeta (mesmo por detrás de um homem?). Parabéns isso qualquer pessoa sabe, o que não sabemos é porque esta nova vaga de (pseudo)feminismo que adora fazer bonecos para bebés, tricots e outros produtos têxteis ache que tenha qualquer ponta de talento noutras áreas como desenho, artes visuais, etc... - basta ver os recentes horrores de ilustração para a infância que tem aparecido por aí! Minhas caras, continuem com os crochés, por favor, não destruam mais florestas para o bem das vossas crianças, obrigado! Zines não são uma cena "cool" para quem gosta de fazer "pé-de-meias" com paninhos... 2

2 comentários:

andré lemos disse...

Sem dúvida que Carlos Pinheiro foi uma das descobertas do ano.

mmmnnnrrrg disse...

bem... o ano ainda só começou agora....