terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Fechei-te essa cona toda!


É fanzine mais underground de sempre... Mete uma estória por detrás do objecto cheia de artsy-fartys nortenhos, desentendimentos, paranóia, oportunismo, abusos de drogas, ameaças judiciais e por fim, este fanzine de bd e ilustração dedicado à pornografia hardcore não se veio. Ficou tântrico! Abria-te a cona toda é (era? foi?) um fanzine A5 com trabalhos de anónimos autores (bastante reconhecidos) que assinam com os fantásticos pseudónimos como The Milky Way, Jucifer Hot Pussy, Brunão, Piça da Aldeia, Boca Doce, Alex, Ramon Jamon, Anita Galdéria, um checo anónimo (desenhos encontrados num quarto em Praga), Gouveia Holmes e Benvindo Fonseca.
Começou como uma piada de tasca, foi para frente e foi catalizador de uma enorme energia criativa durante algumas semanas. Uma ausência de coordenação editorial criou desentendimentos no seio (no seio!) do grupo e a tentativa de imposição de uma forma de ver o objecto criou o seu próprio fim. Parece que viajou ao Crack e esteve para ser lançado na última Feira Laica mas tal coisa não aconteceu com ataques de paranoia e impedimentos de alguns dos editores e autores... Ficam agora uma série de perguntas no ar: foram feitos quantos exemplares? Foram quantos vendidos? E aonde? Em Itália apenas? O que aconteceu aos exemplares não-distribuídos? Esta será a peça mais valiosa quando estes pornógrafos de quinta categoria morrerem e houver especulação sobre estes artefactos chamados fanzines?
Para um projecto para enervar as mentes calmas portuguesa é incrível como esta publicação auto-censurou-se! Um caso de estudo... Fica aqui o resgisto para enervar os coleccionadores compulsivos e entesados.

6 comentários:

Os Positivos disse...

Pelo título, ilustração e supra mencinada contenda entre alguns dos editores e autores, vou arriscar que a contra capa será esta http://goo.gl/KAkxS;

Em que ficamos? É o canto de cisne dum machismo latente do mundo dos comix, um arty-piço criançola pintado na parede, uma irreverência pós-moderna repleta significados esotéricos, shock value gratuito ou só simplesmente uma estratégia de SEO? Cona deve atrair bastante tráfico, a expressão completa multiplicá-lo exponencialmente. Eu sei, com a primeira série do meu zine a chamar-se XXX-Irritante, o triplo X trouxe-me muitos visitantes, mas um gaijo tem que ponderar se entre tantos punheteiros encontramos o público alvo.

MMMNNNRRRG disse...

não seja menino! alguns dos colaboradores eram mulheres, quase 50% dos artistas deste zine... não viste o objecto nem o verás por isso não tens de mandar com comentários sobre machismo e afins.
É muito feio comentar do que não se sabe!

Os Positivos disse...

Quando discorremos em aforismos arriscamos que o nosso interruptor não domine a obscura e estranha arte da interpretação de texto, tal como é ensinada da quarta classe em diante. Se o sentido não sobressai na leitura, seria de supor que pelo menos o “ ? ” servisse de indicador: tratou-se de uma pergunta, não de um comentário. Justamente porque nunca o vi. Do “nem o verás” deduzo a resposta. Arty-piço meets SEO strategy = para circuito interno de betinho ver.

(estatísticas, estatísticas…: julgo que não falhar por muito se considerar que em todos os casos de violência contra mulheres, 50% dos envolvidos sejam, enfim, mulheres.)

MMMNNNRRRG disse...

uau! que master da percepção! que soberba inteligência! estou tão abismado!

Mika disse...

como posso obter estando fora do pais?

MMMNNNRRRG disse...

o zine auto-embargou-se! só os autores tem o seu exemplar de participação... E apenas alguns! Ouvi dizer que nem todos os autores o têm!!!!
por isso, é boca! o melhor zine de 2011 não existe para o público!