sexta-feira, 21 de maio de 2010

Jazz Snob Eat Shit



O que leva um gajo a comprar CD's nos dias de hoje? Não sei se consiga enumerar todas as razões (que não são muitas, diga-se) mas há uma que convence, que é após um bom espetáculo ao vivo podemos querer "levar" um bocado dele para casa... E foi o que aconteceu comigo com os Red Trio embora entre o concerto e o CD passaram-se uns dois anos, porque só agora houve uma estreia fonográfico para este projecto de Jazz.
Jazz? Acho que não é... Nada percebo de Jazz e tenho raiva a quem saiba, só sei que é um género que é uma bela seca tirando uma coisa ou outra, como os alguns dos velhotes que tem piada, e mesmo esses... Dos novos nem sei como há paciência para eles... Os Red Trio São dos "novos" e partem da muita clássica formação bateria / contrabaixo / piano mas invés de "swingarem" algo de convencional - ou fingirem algo de não-convencional como acredito que aconteça por aí - fogem para campos do Improv e Experimental que os metem num plano "Alien". Há uma raiz e rasgos do Jazz mas os instrumentos vão se "concretizando" de forma que a dada altura parecem estarem a serem "expostos" invés de serem "tocados". E se julgam que estamos na calmaria típica à portuguesa - porque não há movimento na animação portuguesa? e na dança? e no teatro? «Portugal paradinho é um miminho!» poderia ser o slogan das Artes dos criadores nacionais, não? - enganam-se muito com os Red Trio, a sua música é física e chega a ter rasgos de violência que lembra ruídos industriais antigos de SPK ou algo assim.
Bizarro q.b., esta é uma das grandes surpresas do ano!

2 comentários:

Tiago Jerónimo disse...

Um grande registo, mto recomendável... Fiquei sem fôlego quando os vi recentemente na ZDB... A música é extremamente física e claustrofóbica

sara disse...

muito bom mesmo