sábado, 5 de setembro de 2009

Sal n.3

v/a
Seong-Hui Kim; 2008

Antologia sul-coreana de bd alternativa, por isso, fora das euforias industriais de "Mawha" (bd coreana quase que sucedânea do fenómeno Manga).
As quase 300 páginas (em formato antologia Mutate & Survive e tantos outros títulos devedores à Raw) são repletas de bd's autobiográficas (ou de recorte auto-biográfico), legendadas no fundo da página em inglês.
Ao contrário de um certo coimbrão (esta terra anda na ordem do dia, pelos vistos) que escreveu à pouco tempo no "Blitz dos reformados" (vulgo o Jornal de Letras), na autobiografia não se coloca as questões de o que é verdade na estória, o que o autor disfarça ou o que "realmente" mostra. A autobiografia na bd, introduzida por Harvey Pekar nos anos 70, é uma revolução estética que permitiu pela primeira na bd, os autores poderem incluir elementos pessoais nas suas estórias sem terem de se sujeitar a normas de género como acontecia antes - podia estar muito de Carl Barks nos "Tio Patinhas" ou de Hugo Pratt no "Corto Maltese" mas ainda assim estavam sujeitos a géneros "bedófilos" como a aventura ou humor ou a híbrida aventura humorística.
As bd's nunca foram mais as mesmas, a "verdade" não é requisito para a Arte - com a «verdade me enganas» significa o quê? Mais, como humanos nem sabemos o que é a realidade - existe menos "realidade" para um "neocon"? Para um Protestante? Para um emigrante ilegal? Para um político português? Os políticos são humanos? Apesar de não morrer de emoção pela maioria das bd's desta antologia - por acaso as que gostei mais eram as não-autobiográficas como as 32 páginas de loucura "Bowie meets Marilyn Manson Space Oddity rmx" de Sa-Won Gong - há uma coisa que este livro consegue ter como um efeito positivo que é perceber o que se passa na cabeça do coreano e da coreana do século XXI - e imagino que fazer estas bd's na Coreia sejam mesmo uma revolução estética ou um acto contra-cultural. Não conseguindo perceber pelos nomes quem é um autor masculino ou um feminino, suspeito pelos desenvolvimentos das estórias qual o sexo de quem, e a nível formal os mais competentes serão Aram Song, Ancco, Namssi, Yong-deuk Kwon, Seong-hui Kim e Su-Bak Kim - a maioria serão mulheres (suponho) excepto Yong-Deuk e Su-Bak. Lembram-me quase todos as bd's de Adrian Tomine talvez pelos "slice-of-lifes" e pelo desenho.

à venda no site da CCC. desconto de 20% para sócios da CCC.